17 segredos dos bastidores de Jurassic World: Reino Ameaçado - Mundo Jurássico BR

Últimas notícias

Post Top Ad


Post Top Ad

Anuncie Aqui

sábado, 7 de julho de 2018

17 segredos dos bastidores de Jurassic World: Reino Ameaçado


O diretor J.A. Bayona e o produtor executivo/roteirista Colin Trevorrow, responsáveis por Jurassic World: Reino Ameaçado, participaram do poscast Empire Spoilers, da revista britânica Empire. Durante a conversa, eles revelaram diversos segredos e curiosidades dos bastidores do filme, e ainda discutiram questões referentes ao próximo, Jurassic World 3.


1. O filme tem referências à outras obras cinematográficas


Além das homenagens aos filmes anteriores da franquia Jurassic Park, Bayona também faz referências visuais a outros filmes icônicos. A cena em que Claire (Bryce Dallas Howard) e Owen (Chris Pratt) chegam a uma praia, após terem caído de um penhasco, foi filmada na mesma locação do clássico A Um Passo de Liberdade (1953). "Eu disse, 'certo, precisamos da mesma cena, a famosa com o beijo entre Burt Lancaster e Deborah Kerr.' Nós fizemos o mesmo com Owen e Claire, exceto pelo beijo," contou o diretor.

Cena clássica de A Um Passo de Liberdade
Chris Pratt e Bryce Dallas Howard durante as gravações na famosa locação, no Havaí


Já a cena do Indoraptor entrando no quatro de Maisie foi inspirada pelo filme Drácula (1979), de John Badham. "Eu assisti ao filme quanto eu tinha cinco anos, por acidente, é claro, e eu não conseguia chegar perto de uma janela por meses porque pensei que Frank Langella [ator que interpreta o vampiro] iria entrar," disse Bayona. "Colin tinha o mesmo momento no roteiro, e eu criei aquela cena pensando naquele momento da minha vida."

Resultado de imagem para dracula 1979 bedroom
Comparação entre as cenas dos dois filmes

Além disso, há diversas referências às obras do grande responsável pela série Jurassic Park nos cinemas, Steven Spielberg. A cena em que Owen corre da manada de dinossauros é similar a de Indiana Jones fugindo dos índios em Indiana Jones e os Caçadores da Arca Perdida (1981). Ainda há outra cena que lembra o filme, quando Owen, Claire e Franklin (Justice Smith) estão correndo no porto e barris explodem perto deles - no filme do arqueólogo, era um avião. A última cena do filme, em que Blue está em uma formação rochosa em frente a uma cidade suburbana, foi filmada no mesmo local em que se passa o filme E.T. - O Extraterrestre

2. Tom Holland foi um dos primeiros a assistirem ao filme - e ficou muito assustado

Reino Ameaçado é um dos filmes mais assustadores da franquia, e para ver como o público mais jovem reagiria, Bayona convidou o amigão da vizinhança, Tom Holland (que trabalhou com o diretor em O Impossível, em 2012) para assistir ao filme antes de todo mundo. "Eu convidei a família inteira dele. Eu estava sentado ao lado dele e foi divertido ver como ele reagia ao filme. Nos momentos emocionantes, ele falava 'não!', e em outros, pulava - ele se divertiu bastante". Para o diretor, a cena que mais assustou o ator foi quando o Indoraptor tenta pegar a Maisie com as suas garras, enquanto ele ainda está na jaula. "Naquela cena, Tom Holland estava borrando as calças!", lembrou Bayona.

Tom Holland também visitou as filmagens do filme na Inglaterra


3. Colin Trevorrow não queria que Ian Malcolm retornasse à Isla Nublar


Uma das maiores dificuldades da franquia é encontrar motivos para os personagens retornarem a uma ilha cheia de dinossauros. Por isso, Colin Trevorrow não podia justificar um retorno de Ian Malcolm (Jeff Goldblum) para o parque. "Sempre pareceu fraco para mim, sempre pareceu falso. Eu tenho muito respeito por esses personagens, então eu não queria que eles fizessem algo que eu não acho que eles fariam naturalmente. Neste filme, Ian é alguém que nos alerta sobre a teoria do caos e como agora nós estamos vendo como ela se desenrola. O que é incrível, é que nós voltamos ao livro de Michael Crichton - metade dos diálogos dele são retirados diretamente do livro," afirmou o roteirista. 

O tempo de tela de Goldblum é mínimo, mas Bayona vê o seu papel como "importante e significante. O filme todo fala sobre perder o controle, e nós estamos cruzando algumas linhas, e tivemos que trazer Ian Malcolm de volta para a história pois ele sempre foi a voz da consciência nos dizendo o que é certo e o que é errado," completou o diretor.
4. Outros personagens clássicos podem retornar em Jurassic World 3
Por mais animador que seja o retorno de Goldblum à franquia, a ideia de trazer de volta Sam Neill e Laura Dern é ainda mais animadora. Enquanto Bayona confirma que eles nunca fizeram parte dos planos para Reino Ameaçado, Trevorrow sugere fortemente que eles podem aparecer no próximo filme. "O padrão que eu tentei seguir aqui é que, em vez de trazer todos de volta no primeiro filme e ir matando-os lentamente, nós vamos lentamente trazer as pessoas de volta," ele afirma, "o que vai trazer as pessoas de volta aos cinemas para verem como seus personagens favoritos se encaixam nesse novo mundo."
5. O vulcão da Isla Nublar foi apresentado em Jurassic World
O vulcão Monte Sibo não foi apresentado pela primeira vez em Reino Ameaçado: ele já estava presente nos mapas de Jurassic World. "O vulcão, na verdade, foi algo que nós colocamos no mapa do primeiro filme, e estabelecemos que havia potencial para um evento de extinção em massa que poderia acontecer e criar uma questão moral, um dilema ético no mundo," disse Trevorrow. 
O vulcão também aparece no jogo Jurassic Park: the Game - mas os eventos que ocorrem no jogo não fazem parte, em sua totalidade, da história do filme. Além disso, no livro original, a ilha usava energia geotérmica, pois ela era de origem vulcânica. 
6. Lowery poderia ter voltado em Reino Ameaçado

O personagem de Justice Smith, Franklin Webb, foi adicionado mais tarde no roteiro do filme. Originalmente, quem iria estar no lugar dele era Lowery, o funcionário da sala de controle de Jurassic World, interpretado por Jake Johnson. "Houve um momento em que Lowery era o personagem de Franklin, porque ele poderia, potencialmente, realizar o mesmo trabalho na ilha," revelou Trevorrow. "Mas eles não tem o mesmo espírito. Nós gostamos da ideia de Zia (Daniella Pineda) e Franklin serem dois jovens idealistas e ativistas que realmente acreditam na causa da Claire. Eu não conseguia imaginar Lowery assim, ele é mais cínico."
7. A decisão de destruir a Isla Nublar foi pensada de forma muito séria

Depois de duas tentativas falhas de manter um parque temático, o vulcão da Isla Nublar retira do jogo uma localização clássica da série - um movimento corajoso, pensado com cuidado. "Nós a tratamos com grande reverência, levamos muito a sério", disse Trevorrow. "Nós olhamos para ela como se os personagens estivessem testemunhando uma igreja ou templo queimando. Eu, honestamente, acho que é como se tivéssemos matado um personagem, e se fossemos fazer isso, precisávamos lidar com muito respeito e entender que é algo permanente, e esperar que as pessoas respondam emocionalmente ao fato, mas que não vão te odiar por isso."
8. O braquiossauro de Reino Ameaçado é o mesmo de Jurassic Park
Se você achou a morte do braquiossauro em Reino Ameaçado triste, agora você vai ficar devastado: ele era o mesmo animal visto em Jurassic Park - o primeiro dinossauros que vemos de forma completa na franquia. "É o mesmo braquiossauro que Alan Grant vê pela primeira vez em Jurassic Park," disse J.A. Bayona. "Eu acho que é um momento muito bonito - é triste, mas bonito, e é muito relevante", completa. O dinossauro ainda faz a mesma pose que ele fez lá em 1993.
"Como era o último dinossauro que vemos na ilha, eu achei que seria efetivamente emocionante", disse o roteirista Colin Trevorrow. "Mas, então, o modo que J.A. Bayona executou a cena - as cores, o modo espiritual como ele filmou e finalizou... foi, na verdade, a última cena que finalizamos no filme inteiro, todo mundo ficou acordado a noite toda. Ele é muito meticuloso, especialmente com as cores e composição. Ele trabalhou nessa cena até o último segundo".
9. A cena da cirurgia na Blue foi uma mistura de animatrônico e CGI
Reino Ameaçado tem mais animatrônicos que o filme anterior, desde um estegossauro amarrado a um T.rex na jaula. Mas a linha entre efeitos práticos e digitais está mais tênue agora. "O segredo de criar uma boa cena com efeitos visuais é unir as duas tecnologias," explica Bayona. "É claro que os animatrônicos são ótimos, eles te dão uma grande referência visual para as texturas e cores, mas eles são limitados. Você não pode fazer um animatrônico correr, por exemplo."
A cena ideal para demonstrar como as duas tecnologias podem trabalhar juntas é cirurgia da velociraptor Blue ("o coração da história"), que foi filmada duas vezes - uma com o dinossauro físico, e uma sem. "Você tem as mesmas cenas, exatamente os mesmos quadros, mas em uma você substitui a cabeça do animatrônico por CGI, mas mantem as mãos do animatrônico. Em outra, você substituiu as mãos e mantém a cabeça," disse Bayona. "Teve momentos que eu estava revisando os efeitos, e eu mesmo me perdia - eu não sabia o que era real e o que não era, e era isso o que eu queria."
As cenas de Owen treinando a Blue filhote também continha um pequeno boneco. "Era muito fofo, você percebe, olhando para o rosto de Chris, o quanto ele estava animado. As reações são sinceras, honestas e reais," lembra o diretor.
10. A cena de luta de Owen foi pensada um pouco depois
Há muitas lutas entre humanos e dinossauros na franquia Jurassic Park, mas momentos de ação entre os humanos nunca foi uma prioridade - mas Reino Ameaçado possui uma cena de Owen encarando diversos mercenários. "Isso apareceu tarde no processo de construção da história," disse Bayona. "Nós precisamos que nossos heróis estivessem durante o leilão, então precisamos improvisar uma cena de luta. Nós não tivemos muito tempo porque ela apareceu no final do processo de projetar o filme. Eu coloquei toda a cena em uma única tomada, com uma câmera acompanhando Owen e o Indoraptor ao fundo, ainda na jaula. Foi bem legal, eu realmente gosto dela. Às vezes, quando você tem alguma limitação, as melhores ideias surgem, e esse é o exemplo perfeito."
11. A aparência do Indoraptor foi baseada em relatos de crianças


A equipe do filme usou ideias de crianças para criar o visual do híbrido Indoraptor. "Nós conversamos com muitas crianças para descobrir o que eles gostavam em dinossauros, e eles falaram sobre texturas e cores, esses elementos," disse Bayona. "E eu acho que, sendo criança, eu ficaria aterrorizado com os olhos e dentes. Eu queria que o Indoraptor fosse como uma sombra, e assim seria muito amedrontador vê-lo no escuro, pois só os olhos e dentes apareceriam. E, especialmente, os braços longos - quase como se fossem humanos.

12. As referências ao presidente Donald Trump foram intencionais

Jurassic World: Fallen Kingdom

Entre Jurassic World e Reino Ameaçado, Donald Trump assumiu a presidência nos EUA. No filme, há diversas piadas e alfinetas ao presidente, como a frase "o presidente não acredita nem que os dinossauros existam" (durante o telejornal no início) e a peruca usada pelo personagem Gunnar Eversol (Toby Jones). "Nós estamos ligando com temas como megalomania e ganância, decisões que afetam a vida das pessoas," explica Trevorrow, que confirmou que a fala "nasty woman" (mulher desagradável, utilizada pelo presidente na vida real), e que foi falada pelo personagem Ken Wheatley (Ted Levine), foi ideia do ator.

13. As mortes foram todas merecidas


Jurassic World: Fallen Kingdom

A morte de Zara em Jurassic World foi vista como exagerada - ela foi carregada por diversos pteranodontes, quase se afogou e no fim, foi comida pelo mosassauro -, pois ela não era uma vilã. Em Reino Ameaçado, Colin Trevorrow preferiu que todas as mortes fossem merecidas. "Todo mundo mereceu a sua morte no filme, lição aprendida. Em 2018, todo mundo mereceu isso. Pessoas horríveis," disse.

A morte favorita de Bayona foi a de Wheatley, pelo Indoraptor. "Esses filmes precisam ter a classificação de 12 anos (no Brasil - nos EUA, é de 13 anos), pois são filmes para a família. Mas você quer o filme seja brutal. Então, você precisa pensar em um modo de mostrar e não mostrar ao mesmo tempo, aí você retira o sangue humano. Eu tive ideia de deixar o Indoraptor morder o braço de Wheatley, e ele cai no chão e o braço continua na boca. Você não precisa ver o sangue para perceber que o momento é brutal," contou o diretor.

14. Steven Spielberg gostou da ideia de clonagem humana


Uma das partes mais corajosas do roteiro de Colin Trevorrow foi a introdução da clonagem humana no universo de Jurassic Park, por meio da personagem Maisie (Isabella Sermon) - e por mais que possa ser uma questão controversa, Steven Spielberg gostou e aprovou. "Spielberg realmente gostou do elemento relacionada a Maisie. Ele gostou do modo que estávamos evoluindo a história, e ele ficou animado com as questões que isso deixa no fim e o que isso pode significar para o futuro", disse Trevorrow, que estava particularmente nervoso em relação a como o público iria reagir a isso. "Eu vejo como uma evolução dos temas que Crichton abordava. É muito mais próximo ao nosso mundo do que fazer dinossauros. Para mim, é o mito do surgimento de uma família. Owen e Claire começam o primeiro filme com essa tensão sexual, e no segundo filme eles tem muito mais responsabilidades como adultos, e no fim, são pais - eles tem essa filha e dirigem rumo ao desconhecido. No momento que Ian Malcolm fala sobre mudanças irrevogáveis, é o que está acontecendo com eles agora mesmo. Eu acho que é algo muito efetivo no contexto dessas pessoas, que estão envolvidas no curso da história."

15. Precisava ser a Maisie a apertar o botão



Após descobrir que ela era um clone e sobreviver ao ataque do Indoraptor, Maisie toma uma decisão importante - salvar os dinossauros de um gás tóxico, liberando-os no mundo real como consequência. "Nunca houve uma resposta a quem mais apertaria o botão," explica Trevorrow. "Eu achei que seria muito mais profundo se ela tivesse evoluído como um ser humano, para que aquela fosse sua reação após um dia horrível, sua descoberta sobre o que ela é, o que isso representa e sua conexão com esses animais. [...] Parecia ser uma resposta instintiva que viria apenas de uma criança. Era a decisão correta? Não sou eu quem poda dizer. Mas eu acho que ela acreditou que, naquele momento, ela não tinha uma escolha."
16. Precisava ser a Maisie a apertar o botão

O final de Reino Ameaçado estabelece um gancho para uma sequência muito diferente do que estamos acostumados. "Havia momentos que nós pensamos, 'isso é algo mais para Jurassic World 3', então tiramos algumas cenas do roteiro," confirma Bayona. "Algumas dessas cenas, nós pensamos, se encaixam melhor em um mundo em que os dinossauros estão espalhados pelo globo. Colin, de vez em quando, vinha até mim e dizia, 'eu quero que esse personagem diga isso porque ele estará fazendo referência a algum momento de Jurassic World 3'".

Trevorrow, que dirigirá o próximo filme, está escrevendo um roteiro junto com a cineasta Emily Carmichael. "Derek Connolly [roteirista de Jurassic World e Reino Ameaçado, junto com Colin] decidimos a história para o terceiro filme," ele afirma. "Eu só queria terminar Reino Ameaçado mostrando que o equilíbrio mudou para esses personagens e para o mundo, que nada será como era no início do filme. É como uma promessa que vamos levar a franquia para um lugarq ue nunca foi visto antes, muito animador. Eu tenho um filme de dinossauros que eu sempre quis ver, e me levou dois filmes para conseguir isso."

17. A tecnologia de clonagem está disponível para o mundo
Jurassic World
Não são apenas os dinossauros que estão soltos no mundo, mas a tecnologia de clonagem também. "DNA e embriões e todo o resto, está fora da caixa," ele diz. Espere os efeitos dessa tecnologia caindo nas mãos erradas no próximo filme.
Fonte: Empire

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Post Top Ad

Anuncie Aqui